Buenos Aires: uma cidade caminhável

Eu sei que já falei brevemente sobre o assunto em um outro post, mas eu queria voltar ao assunto por dois motivos:

1 – na primeira vez em que fui pra Buenos Aires, fiz um daqueles city tours de van, andei muito de táxi e, vejam só!, acabei achando que tudo na cidade era longe! Eu estava mais para o centro e fui almoçar em Recoleta de táxi, não fazia ideia de que podia chegar lá a pé;

2 – em novembro do ano passado, fui para um seminário sobre cidades a pé (que foi maravilhoso <3) e fiquei muito interessada com as políticas de incentivo à mobilidade como pedestre na cidade que foi apresentado pela moça que cuida desse assunto na cidade – vocês sabiam que existe um departamento, no ministério do transporte, especializado em mobilidade saudável? Achei isso muito massa!

Então fui para a cidade já com essa coisa em mente: desfrutar ao máximo o “potencial peatonal” dela (também porque eu queria poder contar para vocês minha experiência, néam?)

Como já contei, peguei transporte público uma única vez – inclusive meu Bilhete Único local ainda tem crédito e eu espero que dê para usá-los se for pra lá ano que vem. Claro, restringi meu passeio aos bairros mais ~turísticos~: Recoleta, San Telmo, La Boca, Puerto Madero e o centro.
O mais engraçado é que o bairro que mais achei estranho para passear foi Puerto Madero – ironicamente, o que tem mais essa cara de metrópole americana. Mas Buenos Aires não é, de forma alguma, hostil ao pedestre.

Em certo dia, fiz o percurso centro-La Boca (que todo mundo achou UM ABSURDO, porque La Boca é um bairro PELIGROSO) e foi tranquilo. Também fomos a pé até Recoleta e também não sofremos. Em sua grande maioria, as ruas são planas, então você não morre de andar. Também tem um monte de praça no meio do caminho, então sempre dá pra fazer aquela parada estratégica para descansar.

É curioso que tive vários choques de realidade por conta da minha visita anterior à cidade: além da proximidade do bairro de Recoleta, não consegui acreditar em como Puerto Madero era perto do centro! Talvez porque ele seja tão diferente do resto da cidade, quase parecendo um mundo à parte, ou porque nem sempre o carro é o caminho mais rápido entre dois pontos.

Parece que eu me perdi um pouco nas reflexões, RISOS, mas, no fim das contas, era tudo isso que eu queria falar: principalmente se você estiver pelo centro, Buenos Aires é uma cidade muito fácil de se caminhar – mesmo em bairros onde a calçada e as ruas ainda são meio antigas, tipo San Telmo. Então, lembrem-se disse quando em Buenos Aires: no final, ela foi praticamente feita para ser andada a pé.

Escrito por

Carioca apaulistada, jornalista, 26 anos. Gosta de escrever, viajar e um monte de outras coisas que não caberia nessa descrição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s