As ruínas de Roma

Sempre que alguém me pergunta sobre Roma, passo longos minutos falando sobre como é incrível cruzar com ruínas no meio da rua. Porque é isso: a capital da Itália sabe conviver com sua História de uma maneira que eu nunca vi antes. Você realmente tropeça em construções históricas que tem, sei lá, pelo menos várias centenas de anos só de pisar pra fora do hotel.

ruína em Roma_Italia
Esse muro gigante estava próximo ao hotel em que ficamos e se estendia por várias ruas. Não é uma loucura?

Talvez uma das ruínas de Roma mais conhecidas seja o Coliseu, que está ali, no meio da cidade, praticamente um tropeçou, achou. E é uma das construções mais incríveis que já conheci na vida.

Coliseu_Rome
Pegue um áudio-guia e não venha com hora para sair. Dá pra passar um tempão nesse lugar!

Aqui era a grande arena das lutas dos gladiadores e também palco para os políticos se exibirem. Senadores tinham lugar vitalício com ~plaquinha~ e tudo, e muitos desses grandes blocos de pedra com os nomes dos caras ainda estão por ali – é só procurar. Percebe que são coisas de centenas, milhares de anos atrás? E tudo ali, na sua cara.

Como a maioria dos espetáculos DA VIDA, existia uma hierarquia para ver as lutas: mais próximo da arena ficavam os homens de mais poder, enquanto o povão ficava na parte superior.

DSC_0259
Por baixo da arena ficavam os depósitos de arma e lugares para os lutadores treinarem

Existem visitas ao subterrâneo do Coliseu, inclusive noturnas. Eu aconselho ir ao escritório de turismo, há alguns metros da arena. Lá, além de várias informações, tem vários pacotes de tours desse tipo.

Também existem várias outras ruínas perto do Coliseu – tantas que você pode passar um fim de semana inteiro só passeando por essa área, como os principais templos da cidade, o centro político, comercial e social, a casa dos imperadores, entre outros.

DSC_0251
Observando algumas ruínas

Um dos meus lugares preferidos pela região foi o Fórum Romano, que era, basicamente, o centro de tudo – principalmente no período do Império Romano. Ali estão os restos de algumas construções muito importantes, como os muitos arcos que os imperadores construíam, principalmente, em homenagem a batalhas ganhas, templos a vários deuses, basílicas e o que viria a ser o Senado Romano.

DSC_0302
À direita está o templo de Saturno; à esquerda, um dos arcos

Vale um recadinho (que meio que já passei no post do Vaticano): muitas construções são feitas a partir de pedaços de outras. Isso significa que muitos prédios, apesar de inteiros, têm pedaços faltando, e isso não necessariamente significa que eles estão danificados ou inacabados: seus pedaços devem estar espalhados por Roma em outras construções mais recentes.

Também por isso, as construções abrangem diversos períodos da Roma Antiga. Porque, como tudo na vida, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma (essa frase também ilustra o parágrafo anterior, haha). Ou: aqui existem, sim, pedras sobre pedras, e a galera foi construindo prédio em cima de prédio – e deixando alguns de pé.

Dentro de algumas construções existem espécies de museus com várias peças de vários períodos históricos. O mais curioso é que uma dessas galerias pode ser vista do templo de Cosme e Damião, que é perto dali – passamos um tempão dentro dele tentando descobrir como chegar àquela sala misteriosa e só depois descobrimos que era só ir pro Fórum Romano!

DSC_0283

 

Roma não foi construída em um dia e também não pode ser visitada só nesse período – nem mesmo a “Roma antiga”. Então, não conseguimos passear por várias dessas construções. Entre elas, infelizmente, está o Palatino.

Diz-se que é uma das regiões mais agradáveis da cidade. Foi casa de pessoas importantes tanto na República quanto no Império e conta a lenda que foi ali que a loba criou Rômulo e Remo, os “pais” da cidade – descobertas arqueológicas que datam de muito tempo antes de Cristo dão sustentação a essa história, o que é muito louco.

Fiz um mapa com outros tantos pontos que acabei não visitando, mas também são bacanas de ver nesse centro antigo de Roma. Um tico mais distante está o que mais me arrependi de não ter visto – e tudo porque só fui me informar sobre essa história depois: o Teatro de Pompeu. Ele já foi um dos maiores teatros do mundo e foi palco de um episódio deveras sangrento: a morte de Júlio César.

Foi ali que cerca de 60 senadores esfaquearam o político, acusando-o de acúmulo de poder. Eles acreditavam que, acabando com ele, poderiam restaurar a República Romana – o que não aconteceu. As classes média e baixa da cidade se revoltaram com a morte do líder e fizeram o maior fuzuê na área do Fórum Romano, pegando os senadores de surpresa e forçando muito deles a fugirem de Roma.

Portanto, lembrem-se disso quando forem visitar a capital da Itália: no centro antigo de Roma aconteceram diversas cenas lamentáveis.

mais ruína em Roma
Essa construção estava perto do Coliseu, mas nunca consegui descobrir o que era. Sugestão para a prefeitura de Roma: instale placas nas ruínas, haha

Utilidade Pública: dá para chegar ali na região descendo na estação Colosseo do metrô.

Escrito por

Carioca apaulistada, jornalista, 26 anos. Gosta de escrever, viajar e um monte de outras coisas que não caberia nessa descrição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s